HORÁRIO DE ATENDIMENTO SEG À SEX:
DAS 8:30H ÀS 12H E 14h ÀS 18:30H
Dr. André Frare - Osteopatia Cascavel

SÉRIE OSTEOPATIA VISCERAL - PARTE 7 - Blog

Post na categoria Saiba mais
As glândulas adrenais são responsáveis pelo estado de alerta, pela resposta ao estresse. Uma palavra assustadora, mas, necessária para o corpo reagir, mas, prejudicial se presente a longo prazo, se o fator estressor permanecer por longos períodos. Aqui estão detalhes sobre o papel dessas glândulas, o que é o estresse e o que a osteopatia pode fazer para seu bom funcionamento.

Estresse e as glândulas adrenais


Quais são as supra-renais?

Como o nome sugere, essas são duas pequenas glândulas localizadas na parte superior dos rins. Cada um deles é composto por duas partes. A camada externa é chamada de córtex adrenal e o núcleo interno é chamado de medula adrenal . São glândulas porque suas principais funções envolvem a produção de hormônios .

Para que servem essas glândulas?

Em primeiro lugar, o córtex adrenal produz uma família de hormônios chamados corticosteróides . Dentro desta família, existem três grupos:

  • O glicocorticóide ou o famoso cortisol .
Hormônio criado a partir do colesterol cujas ações são essenciais para a resposta do corpo ao perigo . Podemos citar:

Um aumento do açúcar no sangue ( níveis de açúcar no sangue ) para preparar os músculos para um esforço.
Uma ação antiinflamatória , analgésica (contra a dor) e antipirética (contra a febre) para reduzir qualquer dor que impeça a luta ou a fuga.
A regulação do catabolismo (transformando alimentos em energia) de proteínas, lipídios e carboidratos para preparar para o exercício.
A inibição de certas reações imunológicas . É por isso que administramos cortisol sintético contra certas doenças autoimunes.
A regulação do ciclo circadiano , do seu ciclo sono / vigília. Na verdade, o cortisol é secretado principalmente de manhã bem cedo, entre 2 e 8 da manhã. É por isso que uma dor que acorda no meio da noite ou de manhã ao levantar da cama é freqüentemente de origem inflamatória .
O nível de cortisol e sua ação antiinflamatória caem durante esses períodos, reativando algumas dores.

  • Os mineralocorticóides , a aldosterona .
Este hormônio regula a retenção de sódio e o vazamento de potássio pelos rins. Duas substâncias que regulam o volume sanguíneo (quantidade de água no sangue) e, portanto, a pressão arterial. Isso para, ainda na mesma ideia, preparar o corpo para o esforço.

  • Os hormônios sexuais
E isso não é tudo ! A medula adrenal também produz uma família de hormônios, as catecolaminas :

  • A adrenalina
É secretado em resposta a um estado de estresse ou na preparação para a atividade física . Causa uma aceleração do ritmo cardíaco , aumento da pressão arterial , dilatação dos brônquios e também das pupilas. Graças a isso, o corpo está pronto para fazer um esforço . Os músculos são melhor supridos com sangue e oxigênio, e o olho está alerta, capaz de ver qualquer perigo potencial.

  • Noradrenalina
Desempenha um papel na excitação, atenção seletiva, vigilância, emoções, aprendizagem relacionada ao estresse.

Tudo isso parece essencial para nossa sobrevivência, não é?

Na verdade, as glândulas supra-renais preparam nosso corpo para fugir ou lutar, em caso de estresse, capacidade essencial para nossa sobrevivência.

 A maior mancha negra está no estresse crônico . Aqui, não se trata mais de uma reação efêmera e obrigatória para a sobrevivência, mas de um estresse latente responsável por uma secreção contínua e leve de todos os hormônios mencionados acima.

Pode ser perigoso ?

Se o estado de estresse persistir, o corpo continuará a promover a produção de hormônios do estresse . No entanto, esses hormônios requerem uma quantidade significativa de energia do corpo para produzi-los. Assim, os estoques de colesterol derreterão, forçando o corpo a se aprofundar nos hormônios sexuais para convertê-los em cortisol.

Além disso, lembre-se de que esses hormônios do estresse aumentam principalmente a pressão arterial, bem como o açúcar no sangue , diminuem o sistema imunológico , regulam o sono e a produção dos hormônios sexuais. Assim, nesta fase, surgem os primeiros sintomas de fadiga generalizada , assim como certos vícios de café ou de doces , falsos estimulantes. Também segue, ao longo do tempo, distúrbios do sono , problemas de humor (irritabilidade), falta de entusiasmo, diminuição da libido , infecções secundárias recorrentes , eczema, osteoartrite, artrite,problemas cardíacos e possivelmente diabetes . Resumindo, nada de bom ... Felizmente, leva tempo para o corpo ser reduzido a tais extremos.

No entanto, a pior parte é que esse estresse crônico é um sistema que se auto-sustenta . Depois de um tempo, o corpo assume respostas automáticas a estímulos externos que tornam difícil quebrar esse círculo de estresse .

É possível quebrar esse círculo?

Reduzir o nível de estresse ao longo da vida pode parecer uma tarefa monumental. Mas os benefícios que você obterá com isso são igualmente impressionantes.

O estresse é uma ideia , uma percepção de ameaça de sua parte, que às vezes não é necessariamente real. Se, por exemplo, você está preocupado com uma entrevista com seu chefe que ocorrerá em alguns dias, seu corpo não saberá a diferença e ficará alerta durante toda a espera que o separa do momento fatídico.

Como então reduzir o estresse?

Cada pessoa é diferente e consegue lidar com o estresse à sua maneira. Mas aqui estão algumas dicas para ajudá-lo.

  • Boa nutrição
Nunca é demais, experimente comer em horários determinados, reserve um tempo para mastigar e torne a refeição agradável para você, mesmo que esteja com pressa. Engolir um sanduíche em cerca de quinze minutos é possível enquanto toma o tempo para comer e tira as preocupações da vida cotidiana da cabeça por um tempo.

  • Reduza o consumo de estimulantes
Café, doces, refrigerantes são estimulantes que exaurem seu corpo . Eles apenas o fazem acreditar que a energia está disponível quando não está. O ataque de fadiga resultante o levará a mais uma dose de estimulantes, exaurindo-o ainda mais e enviando-o a um ciclo de busca constante por energia .
 
  • Boa respiração 
 Sem vida sem oxigênio. Sob estresse, sua respiração acelera e seu diafragma (o grande músculo que você respira) se contrai . Para aliviar tudo isso e trazer uma dose de oxigênio para o corpo, não hesite em respirar fundo, às vezes , para relaxar o diafragma, que costuma ser responsável por esse caroço no estômago durante um estresse significativo.
 
  • Praticar esportes
 É uma forma eficaz de lutar contra o estresse. Ficar ativo e se movimentar ativa a secreção de endorfina e dopamina ,são antidepressivos naturais. Então não hesite, caminhe, corra, faça musculação, dance, nade, futebol, basquete, tudo o que te diverte, seu corpo vai agradecer por isso.
 
  • Falar sobre
 Ter um círculo social, uma pessoa ou um terapeuta por perto para ouvi-lo falar com atenção pode ser um bom calmante para algumas pessoas.
 
  • Dormir
 O corpo precisa de 8 horas de sono para recarregar as baterias. Tente ir para a cama mais cedo, tire cochilos curtos de 20 minutos se a noite tiver sido muito curta.
 
  • Encontre tempo para relaxar 
 Realmente. Identifique atividades que realmente o relaxem e não hesite em dedicar algum tempo para realizá-las. Dez minutos são suficientes se você tiver apenas aquele tempo livre, mas deve ser o seu tempo. Pode ser todo tipo de coisa, meditação, ioga, banho, ouvir música, ler, enfim, cuidar de si mesmo.
 
  • Vivendo no momento
 O passado se foi e se preocupar com um futuro distante é contraproducente. Às vezes, tente limitar seus pensamentos ao que está acontecendo na sua frente no momento.
 
  • Torne-se um espectador de seus pensamentos e reações
 Como eu disse antes, a reação do seu corpo ao estresse torna - se automática com o tempo; pior, ele aprende a reagir apenas dessa maneira. Portanto, se você estiver em uma situação estressante, pare , respire fundo e faça um balanço. O fato de dar um passo para trás e pensar sobre a situação quebra essa reação automática do corpo ao estresse.
 
  • Identifique os irritantes e suas prioridades
 Reconheça seus hábitos estressantes e tente limitar alguns deles. Não se esforce para atingir a perfeição (outro fator de estresse), apenas reduza o que você acha que é ruim para o seu corpo ou mente.
 Existem muitas maneiras de aprender a lidar com o estresse. Você só precisa encontrar a motivação necessária , por menor que seja, você sentirá a diferença no seu bem-estar. Eu não poderia lhe dar melhor conselho do que ouvi - lo mais , cuidar de si mesmo, por mais ocupada que sua agenda esteja.


 O que a osteopatia pode fazer para o bom funcionamento das glândulas supra-renais?


 Eles são presos aos rins, portanto as técnicas são as mesmas que as desenvolvidas. Mobilizações do diafragma, melhorar a mobilidade e a motilidade, além de estarmos atuando diretamente no sistema nervoso simpático e parassimpático, através da manipulação de nervos cranianos e deixando o livre o movimento do fluido cerebroespinhal, movimentando as calotas cranianas de uma maneira adequada e eficaz. Atuamos eficazmente na melhora da distribuição dos fluxos sanguíneos e do retorno venoso. Assim como, um diagnóstico diferencial se faz necessário em pacientes que nos procuram em relação a dores. A DOR É UM FATOR ESTRESSANTE, então ao encontrarmos as disfunções que geram dores, provavelmente o nível de estresse do seu corpo será reduzido. As vezes, não é necessário uma lesão grande ou que apareça em exames de imagens para ser considerada potencial latente para geração da DOR, mas uma pequena disfunção que pode estar lá no seu pé, pode ser o fator principal para todos os eventos estressantes estarem ocorrendo no seu corpo. PENSE BEM A RESPEITO, PROCUREM UM OSTEOPATA AO MENOR DESCONFORTO, PARA QUE ELE NÃO SE TORNE CRÔNICO.


 E a osteopatia pode fazer algo sobre o estresse?


 Do ponto de vista puramente mecânico, a liberação do diafragma é essencial para permitir uma boa respiração, um suprimento ideal de oxigênio e para relaxar. Então, a osteopatia, ao reduzir as várias dores que podem incomodar, contribui para o seu bem-estar geral. Sem falar que uma sessão deve ser relaxante . É um momento em que você pode relaxar, focar na respiração ou apenas relaxar, às vezes até adormecer. Além disso, embora não seja o seu trabalho, um osteopata também é um ouvido atento que ouvirá o que você tem a dizer, se necessário.


 A última palavra


 O estresse é uma emoção fisiológica essencial para lidar com muitas situações de emergência. No entanto, esse estado de alerta requer muita energia do nosso corpo e deve ser passageiro . O estresse crônico é provavelmente uma das preocupações mais espinhosas do nosso tempo, cabe a nós tentar da melhor maneira possível não deixá-lo invadir nosso dia a dia.


AGORA UM RESUMO ESCLARECEDOR PELA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENDOCRINOLOGIA E METABOLOGIA.

"10 coisas que você precisa saber sobre Adrenal".

1 – As glândulas suprarrenais ou adrenal, como também são chamadas, são glândulas pequenas, componentes do sistema endócrino. Elas estão localizadas acima de cada rim e na parte mais anterior.

2 – Cada uma delas possui cerca de 5 cm de diâmetro, sendo dividida em duas partes principais: uma camada externa, conhecida como córtex, e uma parte central, chamada de medula.  

3 – O córtex da suprarrenal é responsável por sintetizar hormônios importantes no processo metabólico, como a aldosterona e o cortisol, além de alguns hormônios sexuais como a androstenediona, que pode ser convertido em testosterona no testículo ou ovário. A medula da suprarrenal produz noradrenalina e adrenalina, denominadas catecolaminas.

4 – A adrenalina e a noradrenalina são hormônios importantes na ativação dos mecanismos de defesa do organismo, diante de condições de estresse, tais como emoções fortes, infecções, doenças graves, entre outros. Eles preparam o organismo para a fuga ou luta. A adrenalina aumenta o ritmo cardíaco e a pressão sanguínea, em resposta ao estresse ou ansiedade. O fluxo sanguíneo para os músculos aumenta, a pele empalidece, as pupilas dos olhos dilatam e o fígado libera glicose no sangue. Estas alterações preparam o corpo para ação imediata.

5 – A adrenalina ainda pode ser utilizada como medicamento no tratamento do estado de choque, nos ataques agudos de alergia e na asma grave. Também é utilizada para diminuir a absorção dos anestésicos locais, aumentando, assim, seu efeito e reduzindo o sangramento, especialmente em cirurgias dermatológicas.

6 – A aldosterona produzida pelo córtex controla a retenção ou excreção de sódio e potássio. Enquanto o cortisol, outro hormônio produzido pelo córtex, atua principalmente no metabolismo dos açúcares e lipídios, além de influenciar o sistema imunológico, o colágeno da pele e o funcionamento do cérebro.

7 – Entre as doenças associadas a distúrbios na produção de hormônios na glândula suprarenal estão a Doença de Addison, a Síndrome de Cushing e o Feocromocitoma. Os tumores benignos que se originam do córtex da glândula suprarrenal são frequentes, mas o carcinoma que se origina do córtex da suprarrenal é bastante raro. Os tumores que se originam da medula, parte mais interna da suprarrenal, são denominados feocromocitomas e produzem catecolaminas.

8 – A Doença de Addison, também conhecida como insuficiência suprarrenal crônica ou hipocortisolismo, é uma rara doença endocrinológica. Ela progride lentamente e os sintomas podem ser discretos ou ausentes até que ocorra uma situação de estresse. Os sintomas mais comuns são: fadiga crônica, com piora progressiva; fraqueza muscular; perda de apetite; perda de peso; náusea e vômitos; diarréia; hipotensão, que piora ao se levantar; áreas de hiperpigmentação (pele escurecida); irritabilidade; depressão; vontade de ingerir sal e alimentos salgados; e hipoglicemia (esse sintoma mais frequente em crianças).

9 – A Síndrome de Cushing é uma doença endócrina, causada por níveis elevados de cortisol no sangue. Os principais sintomas são o aumento de peso, com a gordura se depositando no tronco e no pescoço. Ocorre, também, afilamento dos braços e das pernas com diminuição da musculatura e, consequentemente, fraqueza muscular, que se manifesta principalmente quando o paciente caminha ou sobe escadas. A pele vai se tornando fina e frágil, fazendo com que surjam hematomas sem o paciente notar que bateu ou contundiu o local. Sintomas gerais como fraqueza, cansaço fácil, nervosismo, insônia e labilidade emocional também podem ocorrer.

10 – Feocromocitomas são tumores, geralmente benignos, formados por células produtoras de catecolaminas. Costumam se originar da medula da suprarrenal, mas podem se localizar nos gânglios ao lado da coluna vertebral. O quadro clínico mais típico são as chamadas crises adrenérgicas: episódios de palpitação (aceleração do coração), elevações de pressão arterial, dor de cabeça e sudorese.

DR. ANDRÉ FRARE - FISIOTERAPEUTA OSTEOPATA - CREFITO 51551 - CASCAVEL - PARANÁ - BRASIL



 

COMPARTILHE

OUTRAS POSTAGENS