HORÁRIO DE ATENDIMENTO SEG À SEX:
DAS 8:30H ÀS 12H E 14h ÀS 18:30H
Dr. André Frare - Osteopatia Cascavel

DOENÇA DEGENERATIVA DA COLUNA CERVICAL - Blog

Post na categoria Saiba mais
Doença Degenerativa da Coluna Cervical com o Envelhecimento

Doença Degenerativa da Coluna Cervical: O processo de envelhecimento pode afetar a Coluna Cervical, o Pescoço e possivelmente Ombros, parte superior das Costas e também os Braços. Isso não significa que todos, à medida que envelhecemos, desenvolvam Dor no Pescoço, mas o Desgaste Diário que causamos em nossa Coluna pode levar a Condições Degenerativas da Coluna Vertebral.

A Doença Degenerativa da Coluna Cervical


Neste artigo, você vai aprender sobre como a Doença Degenerativa da Coluna Cervical acontece, o que pode causar dor no pescoço, assim como seu diagnóstico, tratamento de dores e sintomas relacionados ao Pescoço.

Existem vários sintomas que podem indicar a presença de uma Condição Degenerativa na Coluna Cervical:
  • Dor no Pescoço;
  • Dor ao Redor das Costas e das Omoplatas;
  • Alterações de Sensibilidade no Braço
    • Dor,
    • Dormência ou
    • Fraqueza;
  • Dificuldade em Destreza Manual.

Condições Degenerativas da Coluna que Afetam o Pescoço

O processo Degenerativo Espinhal pode começar em qualquer uma das articulações da Coluna Cervical e, com o tempo, também pode causar alterações secundárias nas outras articulações. Não importando a idade do paciente, pode começar mais cedo ou com mais idade.
Por exemplo, um disco intervertebral pode ser afetado. À medida que o disco se estreita, o movimento normal desse segmento é alterado, e as articulações adjacentes (também chamadas de osteoartrite ou doença articular degenerativa) são submetidas a forças e pressões anormais, levando à artrite degenerativa (inflamação articular).
Dor no Pescoço como resultado de Espondilose (Osteoartrite da Coluna Vertebral) é relativamente comum. A dor pode irradiar ou espalhar-se nas omoplatas ou nos braços. Os pacientes também podem ter dor no braço ou fraqueza causada por um esporão ósseo (osteófito) comprimindo uma raiz nervosa espinhal.
A disfagia (dificuldade para engolir) pode resultar de grandes osteófitos anteriores (crescimento ósseo na frente da coluna), embora isso seja raro.
Além disso, distúrbios circulatórios de baixa oxigenação cerebral, podem ocorrer, devido a compressão de artérias que levam o sangue para o cérebro, podendo então gerar sintomas como labirintites, dificuldade de aprendizado, tonturas, zumbidos, dores de cabeça, enxaquecas, entre outros.
Também a compressão dos nervos, vai alterar a sua digestão, gerando azia, refluxo e problemas intestinais.

Tratamento para a Doença Degenerativa da Coluna Cervical

Primeiramente gostaria de deixar claro que, todas as dores na coluna cervical, que não são tratadas, vão gerar uma doença degenerativa na coluna cervical, ficou claro?

Após o médico cirurgião de coluna, e o fisioterapeuta osteopata terem realizado os exames necessários para identificar o problema da coluna cervical, um plano de tratamento é desenvolvido.

Tratamento Não-Cirúrgico é realizado com Fisioterapia, Osteopatia e Exercícios Físicos sob supervisão.

O tratamento não-cirúrgico da Doença Degenerativa Cervical fornece bons a excelentes resultados em mais de 75% dos pacientes. Uma abordagem multidisciplinar inclui:
  • A imobilização do pescoço usando um colar ou cinta pode ser mais benéfica durante as exacerbações agudas da dor para reduzir o movimento nos níveis sintomáticos.
  • Fisioterapia e massagens podem ser úteis para diminuir espasmos musculares que contribuem para a dor e sintomas. As técnicas envolvem o uso de calor, estimulação elétrica e exercícios para ajudar no máximo de benefícios.
  • Osteopatia, sendo esse o primordial a ser avaliado, pois somente o Osteopata vai conseguir através de técnicas e muita habilidade, reorganizar as funções dos posicionamentos das vértebras, nervos, ligamentos e tendões, localizados na região do pescoço, boca, crânio. Além de regularizar a função respiratória, e o funcionamento correto das fáscias, e das vísceras.
  • Os medicamentos incluem analgésicos de venda livre, anti-inflamatórios não-esteroides e também os corticóides, relaxantes musculares e/ou quase nunca opiáceos (pouco ou nenhum efeito). Muitas vezes, o tratamento não cirúrgico fornece bom controle da dor a longo prazo e alívio dos sintomas.

Cirurgia para Transtornos Degenerativos Cervicais

É provável que um cirurgião de coluna considere o tratamento cirúrgico de um transtorno degenerativo cervical se existirem um ou mais dos seguintes critérios:
  • Tratamentos não-cirúrgicos foram tentados e falharam;
  • A disfunção da medula espinhal (por exemplo, mielopatia) se desenvolve;
  • Dor e/ou fraqueza do braço (sintomas neurológicos) pioram, levando a perda funcional do membro superior.
Dependendo do diagnóstico do paciente, um tipo de procedimento cirúrgico que pode ser recomendado é a remoção do esporão ósseo e, possivelmente, da fusão espinhal cervical que une duas ou mais vértebras. No entanto, tenha em mente que o procedimento cirúrgico recomendado pelo seu cirurgião é baseado em seu diagnóstico, sua saúde em geral além de outros fatores. Seu cirurgião irá explicar o procedimento cirúrgico recomendado com muito cuidado e clareza.

Atualmente, os distúrbios degenerativos da coluna cervical podem ser diagnosticados e tratados com maior precisão. Sob a orientação e tratamento de uma equipe médica especializada, a maioria dos pacientes pode esperar uma melhora significativa em sua condição de dor e outros sintomas no pescoço.
Fontes Utilizadas para Produção do Artigo Transtornos Degenerativos Cervicais
Referência: Cervical spine: degenerative conditions – NCBI

Curr Rev Musculoskelet Med . Dezembro de 2011; 4 (4): 168–174.Publicado online em 20 de setembro de 2011. Doi:  10.1007 / s12178-011-9099-2PMCID: PMC3261239PMID: 22021015 

COMPARTILHE

OUTRAS POSTAGENS